24/03/2012 11:25

/ Última Atualização 28/05/2014 13:59

Renato Piovesan

Tablets se tornam nova 'arma' da Polícia Militar

Distribuição dos aparelhos portáteis pelo Estado visa facilitar serviços de rotina dos policiais na RPT

Desde fevereiro todas as viaturas que fazem o policiamento preventivo e ostensivo nas ruas e avenidas da RPT (Região do Polo Têxtil) passaram a ser equipadas com tablets, que são computadores de mão sensíveis ao toque.

Tablets PM_Portal Liberal.com.br

Major Luchiari diz que tablets agilizaram o atendimento

Marcelo Rocha/O Liberal

O aparelho fica acoplado ao painel das viaturas da Polícia Militar (PM) e auxilia na consulta dos bancos de dados criminais, registros de boletins de ocorrência, anotações, relatórios e envia informações ao comando on-line com a tecnologia 3G.

Um total de 11 mil tablets foi adquirido pelo Governo do Estado de São Paulo em março de 2011 para ser distribuído em todas os batalhões de polícia das cidades do interior, incluindo a RPT.

O investimento aproximado na compra dos aparelhos foi de R$ 4 milhões. Na Capital e Grande São Paulo cerca de 6 mil aparelhos foram instalados nas frotas.

Na RPT os primeiros tablets chegaram no começo de fevereiro, em Americana. No mesmo mês, as viaturas da PM de Santa Bárbara d'Oeste, Sumaré, Hortolândia e Nova Odessa também foram equipadas com o aparelho.

Ainda não são todas as cidades do interior paulista cujos batalhões receberam a nova tecnologia.

Segundo o major Mauro Luchiari Junior, da Polícia Militar de Americana, a chegada dos tablets agilizou no atendimento ao cidadão e nos serviços executados diariamente.

"Passou a ser uma ferramenta importante de trabalho para nós, principalmente no armazenamento de dados. Antes tudo era feito pela rede de rádio, o que em certos dias, no horário de pico, dificultava algo que não acontece mais", comenta, lembrando do rádio comunicador da viatura, que é utilizado para consultar um antecedente criminal, por exemplo.

Agora, pelo sistema incluído no aplicativo do tablet, qualquer antecedente pode ser conferido através do toque dos dedos sobre a tela.

Rapidez no atendimento

Além desse recurso, os tablets auxiliam na rapidez de atendimento da ocorrência, já que também funcionam com GPS e podem inclusive encontrar por este sistema qualquer outra viatura, independente do local.

Os dispositivos eletrônicos ainda possuem câmeras acopladas, assim tudo que acontece dentro da viatura, até mesmo a conversa dos policiais, é registrada, além de gravar o trajeto feito pelos policiais.

Todos os aparelhos contam com um aplicativo específico para o tipo de serviço, criado pela própria Polícia Militar.

Segundo Fernando Luiz Rosolem, comandante da PM de Nova Odessa, a adaptação ao sistema foi rápida.

"Não precisou de um treinamento, pois o tablet tem uso simples para as principais operações. Para mim a grande vantagem foi agilizar o deslocamento da viatura em locais em que não se conhece muito a área", afirma.

Segundo o consultor em informática David Marques Neves, o fato de ter um aplicativo criado pela própria polícia é essencial para a utilidade do aparelho.

"O tablet não é nada sem conteúdo. Ele é uma interface revolucionária, pelo fato de ser portátil e de uso simples, mas depende muito da internet e, no caso de ser usado para o trabalho, de aplicativos que tenham recursos específicos para cada área", explica.

Sem risco

O fato de armazenar tantas informações tidas como confidenciais pode fazer dos tablets presentes nas viaturas um novo objeto de desejo dos marginais, porém o major Mauro Luchiari Junior não vê grande risco.

"Não é comum uma viatura ser roubada, mas, se for, automaticamente o sistema é bloqueado. Ele tem consigo um GPS que permite que qualquer outra viatura o localize", diz o major.

Os próximos passos para o aperfeiçoamento dos tablets distribuídos aos policiais serão a inclusão de um sistema chamado "photo screen", que armazenará as fotos de todos que já foram presos.

A iniciativa visa facilitar o reconhecimento de um cidadão suspeito durante as abordagens, caso ele não queira se identificar ou não porte consigo um documento de identidade.

O recurso é capaz de reconhecer, pela simples foto, quem é a pessoa e seus antecedentes, caso esteja inserida no sistema.

O envio de qualquer comentário
é de responsabilidade do usuário.